domingo, 25 de dezembro de 2011

Natal e azeitona



Este foi o Natal da azeitona. Pois sim, azeitona. Disse a mim mesma que a cada vez que meus abusados pensamentos recorressem a ele, eu iria colocar uma azeitona na boca, assim me ocuparia com algo e quem sabe assim, conseguiria me afastar de todas as armadilhas que ele deixa por existir soltas na minha cabeça.  Ele que se declarava para outra enquanto eu passava a noite a seco, goles secos, a garganta seca. O coração seco e a boca ocupada com azeitonas verdes. 

5 comentários:

Anônimo disse...

eh...seicomé!

eh a vida, mano!

vc sabe q sou eu...hahaha, só eu q coloco aqui como anonimo!

Ivan disse...

Naroca,

O meu natal foi da ervilha. Sabe aquelas ervilhinhas ainda na vagem? Então, peguei manteiga e fiz! Comi ainda na panela. Droga do mercado fechado hoje, caso contrário compraria mais! Haha

Bem, nao sei qual é a associacao que as minhas ervilhas têm com as tuas azeitonas, mas, sei lá, achei que ficaria bonitinha contar!

Coisa linda vc. Feliz Natal, flor!

Seu amigo!

Ivan.

. pamela moreno santiago disse...

Boa tarde.
Desculpa o incomodo, mas venho hoje pedir que olhe com carinho meu blog de resenhas literárias, o O Leitor.
Se puder fazer parte, agradecemos.

Obrigada e uma ótima segunda-feira. Beijos,

Pamela.

Ricardo Miñana disse...

Hola Nara tienes un bello espacio,
que pases unas felices fiestas
feliz año 2012.
un abrazo.

Fernanda Cristina disse...

Em poucas palavras você disse tanta coisa! Não tenho muito o que falar do meu Natal, mas, meu Reivellon, esse eu espero poder compartilhar com vocês.

Estou te seguindo :)

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.