sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Ideias na hora errada

Eu queria escrever, queria muito mais uma vez dividir minhas ideias e compartilhar meus pensamentos. Eu estava com um probleminha, as palavras insistiam na má educação e vinham me visitar nas horas mais impróprias, era banho, almoço e principalmente quando eu estava no ônibus. Uma palhaçada só.

Eu deveria saber que a famosa “condução” é de fato o melhor lugar para escrever, ainda mais se é época de férias com participação especial da senhora Gripe Suína no meio do inverno. População silenciosa, vidros abertos com direito a ventinho no rosto nos momentos de reflexão. É incrível o medo e receio das pessoas de abrir a boca com uma epidemia à solta. E é nesse cenário que minhas ideias começam a fazer um happy hour com minha imaginação.

Eu coloco o fone no ouvido, canto para mim mesma e é impossível não reparar em algumas pessoas, elas fazem alguma conexão com meus pensamentos e eu me pergunto se em algum dia eu estava na mesma situação e um monte de histórias surgem nos meus pensamentos.

Isso não é um problema, imaginar não é um problema, o chato é ter coisas a se escrever quando nenhum papel e nenhuma caneta estão por perto. Eu fico formando frasezinhas que com dois minutos ou menos somem da minha mente. Eu gosto mesmo quando a ideia vem e fica martelando na minha cabeça, me enchendo o saco até que eu tomo vergonha na cara, sento em frente ao computador, abro a gracinha do Word e começo a escrever.

Aliás, fácil seria se as idéias/viagensnamaionese/e palpites na vida alheia aparecessem quando eu estivesse morrendo de tédio na frente do computador. Mas meus problemas acabaram! Comprei um caderninho. Agora ele não sai mais da bolsa. Que venham ideias, pensamentos, frases soltas e palavras bonitas. Meu grafite 0.5 tá preparado.

3 comentários:

paulo disse...

Gostei do texto. Denota inteligência e atitude. Mantenha contato ai e vamos ver o que acontece, beijão!

Luna Sanchez disse...

Que gracinha de texto, que menina mais fofa, que eu gosto tanto de ler! ^^

Sendo a Nara, minha querida amiga geminiana, imagino que deva ser ainda mais difícil guardar as idéias que surgem quando tu não tem onde anotá-las, não é?

Um história verídica : o primeiro texto que eu publiquei no blog, lá no mês de janeiro, quando tudo começou, teve seu rascunho rabiscado em um guardanapo de papel, um pouquinho sujo de sorvete de pistache. E eu ainda não tomei vergonha na cara para comprar o caderninho... =\

Dois beijos de sábado, moça.

ℓυηα

Érica Verônica disse...

Agradeço a Deus pela aquisição do seu caderninho...

Ainda bem que o grafite está preparado, pois eu vou poder ler o que a minha amiguinha escreve.. Amo ler vc.. já disse isso?

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.