sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O Lobo

Alguém uma vez tentou me enganar. Dizia frases prontas no meu ouvido, me olhava nos olhos e dizia eu te amo, me agarrava pelos cantos, me beijava e nem ao menos me deixava respirar um não. Pode não parecer, mas não sou boba, eu tinha um pé com cinco dedos atrás em relação às coisas que estavam acontecendo. As pessoas me diziam o quanto ele não prestava para mim, me perguntavam o que ele fazia da vida e o que ele queria. Eu me perguntava o que diabos eu estava fazendo, me questionava quem era aquele rapaz, aquele que tantas vezes jogava pedrinhas na janela do meu quarto e dizia que queria me ver.

Eu tentava gostar dele, mas faltava confiança. Sempre que eu ouvia daquela boca carnuda e sexy a palavra mudança eu sabia que eram apenas letras jogadas ao vento, porque não havia verdades e muito menos vontade de mudar. Sabe, em nenhum segundo eu consegui sentir dor, nem quando chegamos ao fim. Se é que teve um grande fim, desses que a gente diz tchau e até nunca mais. O que predominava era arrependimento e raiva de mim mesma. Parecia que todos estavam vendo o idiota em letras garrafais escrito em minha testa. Ninguém teve a coragem de perguntar como eu estava me sentindo. Pois bem, eu estava muito bem. Eu não tive coragem de contar a ninguém.

Era de dar pena, era de se olhar com dó. Uma garotinha tão novinha, como ela pôde cair nas garras daquele Lobo Mau? Não me menospreze. Desde o começo eu sabia exatamente onde estava me metendo, claro, eu não poderia saber que iria acabar daquela forma fria, mas tinha certeza que aquele não era o homem da minha vida e nem ao menos o esboço dele.

9 comentários:

Daniel Cabral disse...

Comentando o post anterior. Tb Tenho idéias loucas e fora de hora. Isso do fone... igualzinho!

PAULO TIEGO disse...

O último parágrafo me agradou. Aliás, só agora há pouco tempo, é que encontrei seu blogger. Mas tô gostando do que escreves! Afim de escrever algo em conjunto qualquer dia desses?
Abração

Luna Sanchez disse...

Nara,

Acompanhei cada ato, senti cada cena, quase pude ouvir o barulho da pedrinha na janela, e a visão da boca carnuda e sexy foi em slow motion!

Acho bom que as pessoas tenham poupado as perguntas, porque, ainda pior do que responder que nem imaginava que ele fosse de tal jeito, seria ter que dizer : "Pois é, né...eu também sempre soube.". Isso só geraria mais e mais desconforto.

A gente faz uns mergulhos inesperados, vez ou outra...acho que servem como treinamento e até como uma dose de diversão.

Mais um beijo, e tenha um final de semana doce. ^^

ℓυηα

Luna Sanchez disse...

Voltei e trouxe um selinho pra ti :

http://coleccion-recuerdo.blogspot.com/2009/08/selo-lemonade.html

Beijo de domingo, Nara. o/

ℓυηα

Érica Verônica disse...

Amiga... me vi neste texto!

Quase chorei de novo! Continue escrevendo..

bju

Del Lopes disse...

Esse título foi golpe baixo pra atrair minha atenção.

Luna Sanchez disse...

Ei, moça!

Bora mandar pra cá as idéias que anda capturando no caderninho novo, com o grafite 0.5.

Saudades de te ler. ^^

Beijos, dois, de feriado.

ℓυηα

Luiza disse...

Então... já me senti assim! É triste, né?

***MissUniversoPróprio*** disse...

Ah flor, que bom que vc nao permitiu que o lobo mau te machucasse. Realmente as histórias são parecidas.

Beijocas! ;)

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.