terça-feira, 28 de julho de 2009

Com destinatário

Em menos de um mês eu compareci ao aeroporto e a rodoviária por mais de duas vezes, foi aí que descobri que sou uma fraca. Esse negócio de mala, despedida, abraço e vai com Deus não combina comigo, eu gosto das pessoas por perto.

Eu aprendi fácil que amigos, pessoas, carros, namorados e animais vêm e vão, é impossível segurar alguém, a vida vai fazendo curva, os caminhos vão ficando estreitos e quando você percebe a pessoa já escapuliu da sua mão feito sabão. Não adianta, eu não me acostumo a me despedir, dói e muito. Eu consigo suportar a tortura da espera, da curiosidade, do dentista, do fim de semana que não chega, mas ver alguém que é essencial para mim indo para o reino Tão Tão Distante não entra na minha cabeça, é certeza de lágrimas safadas brincando de escorrega nas minhas grandes bochechas. Por mais que eu saiba que por volta dos seis meses tudo voltará ao “normal”, eu não consigo me segurar. Despedidas não descem nem com um gole de vodka.

Ainda mais quando o assunto em questão é você, meu amor. Você sabe, sou boba, choro fácil, uma manteiga, qualquer ceninha de filme me faz sonhar. Ver você chegar é maravilhoso, sensação gostosa, saudade sendo assassinada, beijos e carinhos garantidos por semanas e mimos sendo cobrados por minuto. Mas ver você dentro de um Cometa de dois andares com destino bem diferente do meu, faz minha cidade perder um pouco a cor. E hoje foi assim, no meu primeiro passo fora da rodoviária senti ódio da minha cidade.

Não reclamo, é como você me disse, estou bem por ter novas lembranças lindas e por ter certeza que cada segundo valeu a pena, eu sei que te abracei bastante. Você sabe que me abraçou bastante. Eu estou feliz, mas isso não muda o fato que cada espacinho da minha casa faz lembrar você, cada objeto deixado no meu quarto – aquela escova de dente, o sabão Dove, aqueles chocolates - me fazem lembrar você e do tempo que você esteve aqui.

5 comentários:

Érica Verônica disse...

"O importante e ter alguém de quem eu possa sentir saudades"

Luiza disse...

Pelo menos você tem um namorado e pode sentir saudades dele..*Sim, tô tentnado te confortar*

[figequetemsilver] Você sabe que não sou muito boa nessas coisas

.° celala disse...

Tbm nao gosto disso d ficar despedidno nao. Namoraod nem eh meu mas eu choro junto msm! Pra mim eu fazia um predio e botava td mundo pra morar la! hauahau pra sempre ! =*

Daniel Cabral disse...

O "pior" é que eu sei como você se sente. É muito ruim ver alguém partir. " a hora do encontro é também despedida...."

Del Lopes disse...

Cela é psicótica e eu tenho medo. Pronto, falei.

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.