sexta-feira, 3 de abril de 2009

Memórias de uma garota atrasada

Às vezes saio de casa uma e meia da tarde. Pego minha bolsa pesada e carregada de cadernos e apostilas, coloco o fone no ouvido, uma músiquinha feliz, no estilo caminhada e lá vou eu, tranquila e serena ao ponto de ônibus. Sem me preocupar com nada e nem ninguém que possa me atrapalhar nesse meu curto percurso.
Eu realmente não estou me importando com o horário... Pra quê? Eu não tenho mais uma diretora na porta da escola dizendo se eu posso ou não entrar por causa de horário! E quer saber? Eu nunca mais cheguei atrasada. Mas isso agora não importa.
O importante foi que hoje, quando estava feliz e nada atrasada no ônibus, tinha uma coitada (sim, coitada! Eu sei como é duro correr contra o tempo), desesperada, olhando para relógio freneticamente, passando a mão na testa, olho, boca, cabelo... E perna. A perna da garota tinha vida própria, elas dançavam inconscientemente. Para piorar a situação, o ônibus para, o motorista desce, provavelmente era algum problema na rebinbócadaparafuzeta e lá se vão mais 10 minutos que a estudante perde.
Eu olhando pra visível situação da menina e nossa, que alívio! Eu achava que só acontecia comigo! Me deu uma vontadizinha de abraçar a menina e dizer “ Olha, isso passa. Ninguém vai te matar por chegar atrasada e se você tem uma prova no primeiro horário, paciência, minha vovó diz que pra tudo na vida tem jeito, menos pra morte.E aí minha querida, não tem mais volta.”
Mas é chato. É triste você colocar o despertador e sabe-se lá o porquê, o infeliz não tocar! É o tempo de dar um pulo da cama, sair vestindo a roupa, escovar os dentes e pentear o cabelo, claro, se for possível, faça tudo ao mesmo tempo. Quando acontecia comigo, meu coração disparava e eu tremia, tremia feito sei lá o que que treme. Sem contar que nesses dias nosso querido físico Murph, me acompanhava! Era acordar atrasada, correr atrás de ônibus, perder o ônibus, quebrar celular, começar a chover, vento levar sombrinha, chegar na escola molhada e alguém com um sorriso perguntar:
-Pegou chuva?

E eu sempre fui desesperada, sempre fui super preocupada, e louca com as coisas da escola, tá, eu não era A aluna, era normal, mas era a minha obrigação e eu realmente não queria ir mal na única coisa que eu fazia na vida. Queria notas boas, fazia dever, trabalhos, buscava nota (acho que esse era meu maior defeito, eu apenas me preocupava com as notas) e tentava não faltar. Por mais que eu dormisse nas aulas e distribuísse bilhetões com meus amigos, eu tentava e às vezes até conseguia, ser uma boa aluna. Não que eu seja burra, veja bem, o meu problema é falta de atenção, é lerdeza mesmo. Então, para mim, chegar atrasada era uma loucura! Ainda mais quando tinha prova! E o atraso sempre acontecia quando a prova era de física... Olha o trauma da guria.

Em toda a minha vida escolar eu nunquinha levei uma ocorrência ou suspensão, só uma vez que eu fui chamada na diretoria, mas por besteira, pode acreditar, foi frescura de professora neurótica de português, culpa de um papelzinho colado na parede dizendo “Tipo assim na veia”. Tenho culpa se a louca não permite o uso do “tipo assim”? PeloamórdiDeus, eu tinha quatorze anos, “tipo assim” pra mim era vírgula, ponto, exclamação e um vício digno de uma pré adolescente!Ou seja, posso dizer que tenho um ótimo currículo escolar. Neurótica, mas dedicada.

Ao ver a menina no ônibus me veio um flash back daquela rotina, e não, não senti saudade alguma. Até dei uma risadinha, agradeci a Deus por não ser eu ali, toda nervosa e atrasada.
E eu espero que ela tenha a mesma sorte que eu tinha, por mais atrasada e descontrolada, tudo dava certo e qualquer erro maior,o dia finalmente ia acabar e era só apertar Start de novo. Depois eu até ria da situação, e claro, ficava puta quando acontecia de novo. Mais ou menos um ciclo.

6 comentários:

Ana Elisa disse...

"Era acordar atrasada, correr atrás de ônibus, perder o ônibus, quebrar celular, começar a chover, vento levar sombrinha, chegar na escola molhada e alguém com um sorriso perguntar:
-Pegou chuva?" Eu fiquei com dó do Israel! u.u

E sim, eu tb passo por isso dentro do onibus escutando as reclamações de professores, provas e coisas do tipo, e não, eu não sinto nenhuma saudade! =]

Dango Costa disse...

"Até dei uma risadinha, agradeci a Deus por não ser eu ali, toda nervosa e atrasada."
uhauhauahuahuahauhauahuahuahuahauhauhauahuahuahua

ps: arruma o "srar" para "start" :P

Massa o texto. Seu seu fã.

Anônimo disse...

Muito bom!

Aline disse...

Interessante... eu tb vivo atrasada, rs

..não corro mais tb, mas ainda perco provas e tudo :P

Del Lopes disse...

Nossa, você não pensa nos amigos que não têm muito tempo pra ler coisas na net... outro dia eu termino de ler esse post

.° celala disse...

eu tbm me formei sem ocorrencias e suspensoes.. vivas!
ee sobre chuva em dia d prova d fisica.. oh eu q sei como eh isso *renan e aline caindo d bunda!* hauahu mas eu tenho saudades.. juroooooooo


=*

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.