segunda-feira, 13 de abril de 2009

A falta que a falta faz 2

Vou confessar que eu sinto saudade todos os dias. Mas hoje o bichinho da nostalgia me pegou e cada coisinha me dá saudade... É a falta que a falta faz se manifestando no meu dia, são as lembranças querendo ser vividas novamente.
E eu digo a elas “Eiii, calma, tá desesperada demais, criatura! Sossegue, tudo tem sua hora, nós seremos completamente felizes novamente!” Eu e minhas lembranças, com as novas lembranças, nova saudade e a velha felicidade.
São esses dias nostálgicos que nos fazem ter preguiça de sair de casa, de dizer uma só palavra, preguiça de agir, ou de planejar um futuro, aquele tempo incerto e cheio de surpresas. Dá vontade de só viver do passado. Deitar na cama, pegar as fotos, os bilhetinhos, colocar uma música deprê e o chocolate, ainda mais em um dia nublado, o chocolate é bom, um grande amigo, doce, todo meigo, atencioso, ouve as palavras direto de nossa boca, um amor de pessoa. Mas enfim, fico com vontade de lembrar, sentir cheiros, juntar o máximo de lembranças, o máximo de saudade, todos os detalhes, cada palavrinha dita, cada olhar trocado. É lindo, tudo lindo!
Às vezes bate uma saudade boa, daquelas que você se perde tanto nos pensamentos que acha que pode viver aquilo novamente e tá lá, com cara de boba e sorrindo. Doida, eu? Não, não... Só estou um pouco fora de mim. Perdida no meu eu lírico, completo fluxo de consciência, um monólogo interior.
A saudade boa me faz querer mais, e ao contrário do que eu disse sobre a nostalgia, essa saudade me faz ver o futuro, planejar algo bom, faz com que eu cresça, que eu viva cada dia esperando aquele momento de novo. Me faz planejar, ter certeza do que eu quero. Me faz sorrir e chorar ao mesmo tempo, porque o riso e a lágrima são irmãos, apenas uma linha os divide, uma fina e frágil linha de sentimentos. Não são extremos, são amigos íntimos, confidentes e andam juntos. Você pode sorrir de alegria, de nervoso, chorar de tanto rir, chorar de nervoso, rir e depois chorar, rir de ter chorado, chorar por ter dado gargalhadas. E a saudade faz isso, te faz ser feliz e triste ao-mesmo-tempo-e-tudo-junto. Dói e conforta do mesmo jeito. Dá a certeza de felicidade e tristeza, te lembra o quanto foi bom e inesquecível. A felicidade até existe...
E vou vivendo assim, com saudade, a doença do passado, o fantasma do que foi e é bom.
Não preciso de muito para alimentar minhas lembranças, basta olhar em volta, sair para alguns lugares, ouvir certas palavras e principalmente pensar, pensar no que eu vivi.
Vou me acalmando com o tempo, dizendo a mim mesma que mesmo parecendo, não são apenas lembranças, que na verdade é o começo, começo de uma história quase sem fim, porque o fim, mais cedo ou mais tarde chega, mas isso não quer dizer que será um fim doloroso, cheio de mágoa, é apenas o fim da espera e o começo de uma vida feliz. Não estou falando de contos de fadas, falo da vida real. Daquela que envolve brigas, pessoas tendo que ceder, contornando situações, mostrando a cada dia que vale sim a pena viver aquele momento. Que todas as lembranças do passado são valorizadas, porque no presente outras igualmente fantásticas ou até mesmo melhores estão sendo criadas.
Eu sei que vale a pena esperar, vale a pena aproveitar meus dias, relembrar meus momentos, aprender com os erros, vale a pena sorrir e chorar por coisas pequenas, e principalmente vale a pena acreditar no que eu estou vivendo.

2 comentários:

Anônimo disse...

É tão incrivel a sensação de se indentificar com algo. Ler um texto e se ver presente nas entrelinhas, parece que finalmente alguém entende o que estou sentindo. Mas na verdade a gente acaba se identificando com tudo que se julga bonito. E sentir saudades significa que algo (e porque não alguém) fez a diferença em algum momento pra gente. Estou assim ultimamente sentindo muitas saudades da minha melhor amiga. Mas tbm to sentindo que eu não faço mais parte da vida. Lembranças felizes, mas em um contexto mto triste. Sensaçãozinha estranha neh. Mas lendo o seu texto, amiga sei lá, me deu aquela luzinha sabe. "...todas as lembranças do passado são valorizadas, porque no presente outras igualmente fantásticas ou até mesmo melhores estão sendo criadas..." Então é só parar pra pensar e ver que momentos as vezes tão sem importancia na hra que acontecem, mas nas lembranças passam a ter dimensões extraórdinárias. Por isso AMO ler o que vc escreve aki. Obrigado por me fazer entender..

Lari disse...

Maravilhoo o texto.
Saudade..pra mim é mais fore até que amor, na verdade é um aor não presente ou coisa sassim.
Lindo mesmo o que vc escreve.

ps:Obrigadapor ter passado no blog e pelos elogios, espero que volte!

Beijos!

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.