sábado, 18 de abril de 2009

Exageros e imitações

Saí da farmácia com um pacotinho de pastilhas e outro com manteiga de cacau, decida que iria melhorar! Nada de tosse, nada de boca ressecada, chega dessa vida de doente! Com aquele pacotinho cinza na mão me senti nas últimas! Foi estranho porque minha mãe foi quem sempre comprou os remédios, pastilhas, chazinhos, essas coisas que gente gripada adora. Eu sempre achei que tudo estava no armário lá de casa esperando minha gripe chegar... Mas nada, menina, eu tive que comprar!
Exageradamente me senti a beira da morte, comprando remedinhos. Imagina se fosse um antibiótico? Eu já me jogaria no chão, gritando que iria morrer e então o filme da minha vida iria passar diante dos meus olhos... Oh, drama!
O ser humano é exagerado mesmo. É sonho de qualquer garota sentar em frente à tv, comendo sorvete e chocolate e chorar assistindo filme. Envolvendo pé na bunda ou não. É gostoso, sorvete é bom, filme melosinho é bom pra chorar e, tá, eu confesso, pode não ser o sonho de qualquer garota, mas é tão legal imitar essas cenas. A pessoa se sente gorda, porem, feliz! Sorvete e chocolate? Tem coisa melhor? Não, não, não e não.
Claro que se você realmente levou um pé na bunda não vai ser nada agradável. Mas também, que ideia de jerico essa sua de ficar sozinha em casa curtindo dor de cotovelo!

Nos envolvemos tanto com a fantasia dos filmes que acreditamos em amores cinematográficos, cheios de perfeição e olhinhos brilhantes com músicas lindas tocando ao fim de frases lindas. Amizades inseparáveis, daquelas que você anda com milhares de sacolas nas mãos pelas ruas de New York, todas sorrindo, belas e cabelos ao vento!
Acreditamos nos contos de fadas, esperamos pelo príncipe encantado, achamos que sempre terá uma vaca bruxa querendo te separar do seu encantado príncipe e que para resolver qualquer problema maior no relacionamento, jogue suas tranças e se você dormir demais, não se preocupe, ele vai te acordar com um beijo, caso você se engasgue com uma maçã, ele te beija também! E se você já for uma bela princesa, aguarde, ele vai te transformar em uma ogra. Mas no fim, vocês serão felizes e terão uma família de ogrinhos.

A vida é mais complexa que isso, muito mais... E pior, nós ainda damos uma pitada, pitada não, erramos a medida, passamos do ponto quando o assunto é exagero! Somos protagonistas de nossas vidas e então achamos que temos direito a tudo! A luz focada em mim, o centro do palco, a melhor fala, o melhor par romântico, os melhores amigos, os piores problemas, as melhores risadas, as melhores falas, os piores inimigos, uma ótima trilha sonora, e um bom final feliz.
Nem sempre dá tempo de ser o personagem principal. Já percebeu como em alguns momentos nos dedicamos a alguém? Seja a um amigo, namorado, cachorro, alguém da família. A meu ver sempre tem alguém precisando da gente, mesmo que seja só para um abraço. E por algum tempo, essa pessoa vira a protagonista. O sofredor, aquele que te faz pensar no quanto sua vida é boa em comparação a dele e já que é assim, se alguém tem que ser o mocinho, que seja ele. E você diz pro pobre coitado: “Eii, vai dar tudo certo. No fim, vai ficar tudo bem.” Afinal, a protagonista sempre tem um melhor amigo conselheiro, pé no chão, super bonzinho. Não que a protagonista tem que ser sempre uma pessoa sofredora que vence no final, foi só um exemplo. Você pode querer ser um protagonista daqueles malvados, que armam planos contra tudo e todos, mas mesmo assim sempre se dá bem por ser uma pessoa extremamente engraçada e totalmente irônica.

O que eu vejo é que a vida seria muito mais fácil se não imaginássemos tanto em volta de coisas que podem ser do tamanho de uma formiga. A dor muitas vezes seria menor se a ilusão ficasse no seu devido lugar e deixasse sentimentos verdadeiros soltos por aí.
Exagerar é bom, sonhar é melhor ainda, tirar os pés do chão e acreditar que podemos voar faz um bem pra alma, mas começar a dar razão para sentimentos inexistentes e dar passos maiores que os pés, podem machucar. E com isso, vir quedas enormes.
É bom saber quem você realmente é, saber que além de você, no mundo há mais de cinco bilhões de pessoas e que jamais, exagero nenhum, vai te fazer melhor que ninguém. Somos todos iguais perante a natureza, todos temos os mesmos sentimentos, a diferença é a maneira que você consegue lidar com cada um.
Você pode escolher que a vida imite a arte ou que a arte imite a vida.

3 comentários:

.° celala disse...

Ah o meus amigos sao os melhoes, soh o q eu faço ta certo,e td pra mim eh masi dificil. eu tenho certeza!
posso sentir sbe?
hauahaua

=*

Érica disse...

"Somos todos iguais perante a natureza, todos temos os mesmos sentimentos, a diferença é a maneira que você consegue lidar com cada um.
Você pode escolher que a vida imite a arte ou que a arte imite a vida."

Depois disso nao preciso dizer mais nada, afinal de contas, vc já disse tudo..

Adoro ler o que vc escreve!

Dango Costa disse...

Cara... eu sei q vc já postou isso a alguns dias.. mas eu nao li. Fiz um post agora cujo o título é o nome de seu blog. Segundo seu post em relação ao meu, eu nunca me vejo como protagonista. Pior.. teu post, mesmo antes de ter sido escrito antes, parece uma resposta ao que eu escrevi! :P

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.