quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Feito tatuagem




♪ Quero ficar no teu corpo feito tatuagem 

Pensei em mim, pensei no amor que sinto, nos amores que senti, pensei em tudo que chamei de amor, tentando loucamente colocar os pingos em cada i. É bonito de se dizer e viver amor. E se amor for tatuagem? Tatuagem da alma e não do corpo. E fica, e gruda, por nada vai embora. Creio que possa adormecer e por vezes virar poeira eterna que vira e mexe respiramos por aí. É feito relógio que dá voltas nos indicando as horas, nos indicando os momentos.

Amor pode ser acompanhado de saudade ou simplesmente ser saudade. Um amigo meu - dessas gentes cheias de imaginação - uma vez disse que rancor é saudade ruim. Fiquei semanas pensando sobre isso. Pensando por que diabos guardamos tanto rancor, tanta saudade, tanto amor adormecido. E aí pensei assim: rancor é amor que virou saudade ruim. Porque às vezes não volta mais, e não volta para nosso bem. A vida oferece tanto. E tem amor que prende e eu quero é andar pra frente.

É tatuagem que escolhemos para marcar a pele, “marcada a frio, ferro e fogo em carne viva”, já dizia Chico Buarque. E como é que se tira isso? Pra mim, simplesmente fica. Por anos. Perdendo o brilho, a cor, a imagem. Transforma-se num borrão. Vai ver lembrança é borrão, é o pouco que sobrou do real. Fica na alma e não na pele. Já disse. 

Um comentário:

Malu Silva disse...

Que a nossa alma seja grande o suficiente para abrigar as tatuagens dos amores verdadeiros que passam pelas nossas VIDAS!!!
Um grande abraço

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.