quarta-feira, 15 de junho de 2011

Somente a falta



Sinto vontade de te contar sobre a minha vida, vontade de ouvir você falar da sua vida. Às vezes quero falar com você só para saber como vão as coisas, se a empolgação ainda existe, se o mestrado tem andado, como vão as coisas na sua casa, sua família ou se você tem aparado a barba. Aquela barba que eu sempre gostei tanto. Queria saber o que passa aí no seu coração. Seu coração que era tão meu.

Queria saber dessa barreira que você plantou entre a gente, essa que deve ser pro meu bem, pro seu bem, talvez para o nosso bem. Essa barreira que me afasta, que faz com que você se esqueça de mim, que estreita todos os nossos laços, barreira que vai matando aos pouquinhos o que existe aqui dentro. Estou tentando me perder nos seus desejos, mas mal consigo me lembrar dos meus. Estou tentando respeitar a sua decisão, te deixar livre, deixar a vida levar as lembranças, estou tentando virar a página, passar para outra, estou tentando, tentando, tentando. 

A falta anda falando mais alto. Estou me segurando, chorando baixo, rezando pelos cantos, conversando comigo mesma. Estou tentando manter a calma, o controle, a sanidade. E você? Vivendo? Sorrindo? Chorando? E o coração, meu bem? O que passa aí dentro? Fala pra mim do jeito que você falava. Me deixa saber de você. Quero fazer parte. É difícil não fazer parte de algo que sinto ser tão meu.

14 comentários:

Friends:Renata e Juliana disse...

TÃO A MINHA CARA...
Lindo demais o post!
Lembrei da música da Ana _ Mais que a Mim.

*BeijO!*

Érica Verônica disse...

[i]"Como vai você
Eu preciso saber da sua vida
Peço alguém pra me contar
Sobre o seu dia
Amanheceu e eu preciso só saber..."[/i]

É a parte difícil Nara, viver sabendo que a gente tem que respeitar a vontade do outro. Ou a nossa vontade. Respeitar o nosso limite, ou o limite do outro.

Como você disse pra mim uma vez, são histórias diferentes, mas eu entendo perfeitamente o que você está sentindo.

Agora o seu conselho: "Certeza que um dia passa".

Estamos juntas até nisso amiga!
Beijos
o/

Ellen Lacerda (Elinha) disse...

Vontade de saber do outro, ou de ao menos ouvir a voz...
Mas existem os muros ao invés das pontes...
Fique bem.
xero.

Georgette. disse...

Também sinto falta de coisas que vivi há pouco tempo. Belo texto, como todos os outros, vejo você inteira no que escreves, e isso é lindo.

Mariana disse...

Oiii

adorei seu blog...

lindoOo

tô seguindo

segue???

http://meuryss.blogspot.com/

Bjim

Dani Almeida disse...

A ausência, a indiferença nos doi de verdade.
Demoramos acostumar... mas passa.

Adorei, lindo lindo!

preciso neeem assinar! disse...

mano...sei o qnto eh dificil!
vc sabe neh...eu tbm sei neh!

te dar dois conselhos...

=)

LUZIA disse...

Eu também já me senti assim, mas graças a Deus, já virei esta página.

Beijoo

Guilherme Augusto Codignolle Souza disse...

Seu texto me explicou um pouco do nome que vc deu ao seu Blog. Ao menos no meu modo de ver o seu sentimento. Aquele la nas palavras... Ah, vc sabe. ^^

Mt bom te visitar (Como sempre).

http://codignolle.blogspot.com

Ana Elisa disse...

Oi amiga. Tudo bem? Acho que não né? Sabe, pequena, eu gosto de você. A gente briga, se desintende, some uma da outra para não perder a amizade. A gente se discorda de tanta coisa! Da maneira de ver o mundo, da maneira de sentir, de viver, de sofrer. Mas olha, eu ainda to aqui. E você ainda esta aí. E mais da metade das nossas vidas estamos juntas. E o que eu queria te pedir é para olhar para trás. Bem para trás. E tanta coisa que parecia o fim do mundo e não foi. Agora respira e olhe você, sem medo do que vai ver, me responde, se responde, como você esta? Quando eu olho para você, vejo alguém com medo da resposta. Da medo sofrer né? Eu sei. Mas se você quiser enfrentar o sofrimento de frente, chamar ele pro fight, eu vou estar aqui, eu vou estar do lado de fora do ring com uma toalhinha branca, e se precisar eu entro no ring pra te salvar. Mas amiga, pare de olhar para o futuro. Pare de olhar para um futuro que se perdeu e que não volta mais.

A tempestade ta aí fora batendo na porta, se deixa molhar antes que ela destrua sua prisão a força.

Te amo, conte comigo.

Ivan disse...

Pois é, a falta faz muita falta mesmo...
Abraço

Raay disse...

Lindo post, Nara...
Saudades daqui.

Dei uma sumida, mas estou de volta : )

Beijos doce;*

Luara Q. disse...

Você escreve muito bem!

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Oi amiga Nara. Acabei de conhecer teu blog e senti que você tem muito talento para escrever, escreve com caneta a mensagem que o coração transmite. Quem ainda nunca passou por essa falta? essa falta que o outro nos faz? Mas a vida é assim mesmo, um dia sentiremos falta de outro alguém... Um grande beijo, um ótimo domingo.

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.