segunda-feira, 30 de maio de 2011

Gente que gosto




Eu gostaria de falar sobre as pessoas, quero dizer que gosto delas. Gosto de entender, gosto de ouvir. Eu gosto de observar aqueles detalhes, sabe? Mas não gosto de invadir. Invadir a privacidade do outro, mesmo que seja só com um olhar discreto é feio.  Fico ali, atenta, olhando, tirando as minhas próprias conclusões, inventando a minha própria história. É bonito isso, essa coisa da vida. Cada um carrega dentro de si uma história, uma loooonga história - pode ser um conto, uma caixa pesada, um poema apaixonado, uma cantiga ou só uma frase. 


Tem gente nesse mundo que eu gosto muito, saca? Gente que só te olhar me transmite alegria, gente que se eu to na TPM me dá uma paz tão grande que dá vontade de chorar e abraçar. Tem gente que eu posso confiar, posso abraçar, posso falar, dizer tudo, com todas as letras. Tem gente que dá vontade de guardar numa caixinha, gente que você sabe que é gente boa, das melhores, que tem um coração tão grande que mal cabe no mundo. Tem gente que eu quero proteger, quero que esteja sempre ao meu lado, gente que me faz rir. Gente leve, que me leva. Gente que eu amo. PONTO.

Mas eu não gosto de todo mundo não, para alguns eu torço o nariz mesmo. Chato. Gente egoísta, que se esconde, que se priva, que tem medo. E a arrogância? Ah, enfia a arrogância no popozão  42, vai. E a inveja? Não gosto de gente negativa, gente que tem preguiça da vida, gente que desiste, que se entrega e acha que nada vale a pena. A gente tem que confiar, poxa. A esperança ainda é a última que morre! E se você acha que os seus problemas são os maiores do mundo e que não existe vida mais sofrida que a sua, eu não gosto de você também. Desculpa, te deixo a vontade para não gostar de mim também. É que tem dia que não dá.

Na grande maioria das vezes as pessoas conseguem me tocar. É pela vida. É por todos os sentimentos que cada um carrega dentro do peito. Gosto das pessoas por causa das diferenças e porque cada olhar esconde segredos tão bonitos, secretos, sórdidos, tão subjetivos, tão humanos. Ah vai, ninguém é cemporcentoalgumacoisa. E é disso que eu gosto: dessa liberdade, gosto dos pólos, dos oito e dos oitenta.

6 comentários:

Elaine Coelho disse...

Lindo texto....

Adorei cada palavra! Combina bem comigo...rsrsrs....

Beijos

Érica Verônica disse...

Eu também gosto de gente. De gente que se mostra sem medo, nem vergonha, gente bonita por dentro e por fora. Gosto de gente e ponto. Gosto muito de você.. e tô morrendo de saudade Nara!

Beijo, dois Amiga!
o/

Gabi disse...

ahhh, mano! eu gosto de vc tbm!
hahahaha

companheira eh companheira!
( e vem o cara atras, fdp eh fdp!)
eh nui!

ps: ah, agora virei mano mesmo!hahaa
beijo

Idiótica. disse...

Que pena que ultimamente venho me decepcionando com muita gente, mas também gosto e aprecio muito alguns quase extintos por aí, assim como também aprecio muitas de suas qualidades.

Lindo texto, escreves melhor a cada dia. Beijo.

Dai disse...

E eu gosto de vc.

=)

Luh disse...

Você gosta de mim, né? Me descreveu ali! hahahaha brinks!

Amo você, amiguinha!

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.