segunda-feira, 19 de abril de 2010

Tudo de mim



As pessoas têm mania de querer nos entender, de querer colocar plaquinhas em nosso pescoço com nossas maiores virtudes e nossos maiores defeitos (os defeitos vêm na frente, afinal, são mais fácies de serem apontados). Eu tenho preguiça disso. Preguiça de olhar cada um de cima a baixo com olhos de quem analisa o que temos por fora. Se for pra analisar, que sejam os sentimentos, se for pra analisar, que sejam os olhos.  Se você me acusa, eu aceito. Só não espere que eu acuse e aponte de volta, e nem espere mudar meu jeito por causa das suas palavras com efeito incriminador.  Isso não me atinge mais.
Talvez um dia você descubra que eu não sou uma pessoa ruim, assim como você disse. Eu só quis ser dura e exata com as palavras. Já disse, minhas palavras não têm freios. Ninguém as ensinou que devem ser educadas, conformadas, recatadas e que devem seguir o seu manual. Tem gente que age assim, quer de qualquer jeito que eu seja do seu modo, quer que eu me encaixe no seu mundo. Tem dia que isso não funciona comigo. Desculpa, mas eu também sei ser rebelde, sei dizer não amargamente e manter a minha opinião, do meu jeito.
Eu cheguei a conclusão de que eu não quero desabafar. Não precisa vir com esse ombro largo pra cima de mim. Eu escrevo meus textos, eles não enchem o meu saco, não me julgam, não jogam na minha cara o que eu mesmo disse em um momento de puro impulso, eles não têm dedos, não apontariam minhas próprias palavras. Só se eu quiser – e eu não quero. Só se alguém fizer – e aí já não são só as minhas palavras.

Eu acredito mesmo no Yin Yang. São pólos, somos feitos de pólos. Não venha me dizer que você é bom, não venha me dizer que você é ruim. Não venha me dizer que eu sou boa, não venha me dizer que eu sou ruim. Os fins justificam os meios. Em todo esse meu lado sombrio e escuro, existe uma luz. Em toda essa minha bondade, existe uma sombra. E eu sou humana assim, feita de raiva, ódio, fúria. Feita de amor, de carinho, de colo e palavras doces. É assim que a gente se equilibra, só assim sou completa. Não quero viver sem a minha maldade, para eu experimentar ser boa, eu tenho que ser má também. Pra eu conseguir ser boa, eu tenho que provar um pouco da maldade. Os gostos são diferentes, um não vive sem o outro. Um só vive porque o outro de alguma forma apareceu e mostrou sua cara.
 

38 comentários:

jusandres disse...

"Em todo esse meu lado sombrio e escuro, existe uma luz. Em toda essa minha bondade, existe uma sombra. E eu sou humana assim, feita de raiva, ódio, fúria."

Caramba.. que forte isso.. Fiquei toda arrepiada!! Perfeito!!

Beijos

Roberta M. disse...

Quando eu sou boa eu sou boa, quando sou má, sou melhor ainda...não necessariamente assim, mas esses lados devem andar emparelhados, em equilibrio perfeito!! Beijocas

Ana Cristina Cattete Quevedo disse...

Nara, não é sendo perfeitos que nos tornamos humanos. É sendo humanos que nos tornamos próximos da Perfeição.
E o Equilibrio é sempre a chave.

Gosto muito da tua escrita.

Beijo

=)

Sílvia disse...

Excelente texto! Todos esperam que embelezemos as palavras, mas não há nada como palavras duras para transmitir aquilo que sentimos. Só não o compreendem se nos esperarem mais fracos.

Beijo

Mali Melo disse...

"E eu sou humana assim, feita de raiva, ódio, fúria. Feita de amor, de carinho, de colo e palavras doces."

Seus textos são divinos, cara, fico impressionada. Leio, releio, até conseguir comentar algumas coisa, mas tudo que consigo pensar é: Perfeito!
Adoro o jeito que você usa as palavras. :D

• déia musso • disse...

Narinha,

eu gosto de seu ponto de vista.
rótulos são para geléias!


aaah!
passa lá no meu blog pra ver como eu "to chique..." hauahaua

bzooo

Déia disse...

Puts..

Eu ja sou politicamente correta, tomo um cuidaaaaaaaaado, que chega a cansar....tudo para não dizer o que posso me arrepender depois...

Muitas vezes calei, qdo minha vontade era berrar...mas...não guardo por muito tempo... espero a hora e o jeito certo de colocar tudo pra fora!!

bj

O Lobo Mau disse...

Narinha,

A argumentação é boa, sensível, credível, apelativa, e é claro: tu não é ruim!

Quem foi o anta imbecil burro sem noção otário allien retrasado ressabiado que falou isso, hein?

Todo o mundo te adora,

polva!

E eu (e a lobinha - a-que-la!!! Rsss) também. Muito.Assim, ó:

|.......................................................................................................................................................................................... ! Para aí, já chega.

Rsss....

Não liga pra essas lulas. Tu és polva, és superior.

Rebeca Amaral disse...

Também acredito no Yin Yang, são os extremos. Temos que buscar pelo equilíbrio, pelo bom censo.

E claro que para termos uma opinião consciente e verdadeira temos que conhecer os dois lados da moeda. Senão não há coerência.

Ótimo texto.
Beijão, flor.

Erica Vittorazzi disse...

Todos nós temos os dois lados. Eu tenho tentado matar de fome o meu lado ruim...

beijos

Naty Araújo disse...

Eu tbm acredito... o equilíbrio é a base pra qualquer coisa.
Adorei seu post.

Beijão, Nara.

Andréa Silveira disse...

Minha filha, é isso! Tb to nessa fase q nao aguento gente fingida, e se eu nao for eu mesma, eh oq eu vou acabar me tornado... Seja de carne e osso. Isso é suficiente. Bjos!

Vêza Lopes disse...

O que importa eh que vc tem personalidade e que vc naum a trai. Naum interessa se ela diga que vc eh uma princesa ou uma fera...

meus instantes e momentos disse...

parabens pelo texto, muito bom.
Ótimo blog, gostei daqui.
Maurizio

Érica Verônica disse...

Narinha...
Sabe do que eu lembrei quando li o seu texto? Da música da Zélia Duncan: Carne e Osso.

"... Perfeição demais me agita os instintos, quem se diz muito perfeito na certa encontrou um jeito, insosso pra não ser de carne e osso... "

Bju florzinha..
Saudades mil.

o/

Luna Sanchez disse...

Uhun, o Lobo tá certinho em tudo o que disse, e eu adoooooro mesmo, essa polva! \o/

A gente precisa de parâmetros, não adianta, e, sim, o equilíbrio está em transitar pelos pólos, e achar o meio-termo.

Beijo, beijo.

ℓυηα

A!!ªN disse...

Lindo e profundo, também acho que as pessoas têm lado ruim e lado bom, e que não podemos defini-las como um só, mais podemos definir o caráter delas sendo bom ou Ruim. bjo

Eraldo Paulino disse...

O tudo e o nada, o bem e o mal e todos os extremos são como aquelas avaliações de escola de samba: tira a nota maior e a menor. E tudo o que sobra é o que vale realmente - pelo menos em se tratando de pessoas sãs.

Beijos que provocam insanidades!

Dai disse...

Nara,

A ainda você vem dizer que não é de se colocar no ringue? De chamar as palavras pro meio da rua e arrancar os cabelos?

Isso (o post) é um desafio, sim senhora.

Eu gosto da coisa é assim, escancarada, dizendo pra que veio. Sabe pq eu gosto do Yin Yang?! Porque você veja, ele não é uma bolinha dividida ao meio retinho em duas cores, não, é uma curva, onde um invade o lado do outro, e as vezes prevalece. Acho que a gente tem que ser assim mesmo, saber que todo mudo 'são' dois, e é bom que seja assim.

beijo

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
sangre
de
la
tarde
herida
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


TE SIGO TU BLOG




CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...


AFECTUOSAMENTE


ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE CHOCOLATE, EL NAZARENO- LOVE STORY,- Y- CABALLO, .

José
ramón...

* Mari Sottomaior disse...

Adorei! Concordo com tudo que você disse aqui! :)

Ninguém é bom ou ruim, somos todos humanos! E escrever é melhor do que falar! :*

Sônia Silvino disse...

Amei, Narinha! Mde identifiquei em vários aspectos, guria!
Bjkas, muitas!

Ellen Lacerda (Elinha) disse...

Ótimo texto!
Todos nós temos o ruim e o bom, mas vivemos camuflando o ruim...
Penso que ao menos às vezes deveriamos nos mostrar como realmente somos: humanos!
Adoro seus textos!
xero!

Marina Cavalcante Lacerda disse...

Naraa, concordo com vc em numero, genero e graaaau.
E sabe, nunca conheceriamos a alegria se nao houvessem as tristezas. Nem a bondade se nao houvessem maldades também. E como eu disse no meu texto inicial do blog: é escrevendo que eu sinto-me livre e digo a todos a minha verdade, sem medo. E aos que leem é permitido julgar, ou não; e a mim resta o direito de aceitar, ou não.

E creio que isso vale para tudo. Podem falar o que quiserem sobre nós, afinal cada um com sua boca né isso? Mas a escolha de aceitar qualquer critica (pq elogia aceita-se mesmo, rsrs) é toda nossa.
Enfim, no blog tem la mais um capitulo ainda com aquela paixão do inicio, tão cativante né? hehehe. beijos liindona :D

Menina Misteriosa disse...

Nara,
Fiquei arrepiada e emocionada, ao te ler!
Posso te nomear minha 'porta voz oficial'?

Gostei muito!
Beijo!

pimenta-com-br disse...

Te convido a me ajudar a pôr pimenta.
Abraços!

valentina Rosin disse...

Conheça o meu diário, amiga!
És muito bem-vinda por lá.
Bjsssss!

valentina Rosin disse...

Conheça o meu diário, amiga!
És muito bem-vinda por lá.
Bjsssss!

• déia musso • disse...

Oi Narinha =D

Como foi o feriadin ?

Linda quinta pra vc,com muitas coisas boas pra te alegrar o dia!

bzo

Naty Araújo disse...

Te ler é uma sintonia incrível...
Um beijão pra ti e um chocolate.

Beijos, Nara

Rebeca Amaral disse...

Gente, eu escrevi senso com 'c'! :O

Descarta aí, viu?

Senso isn't Censo.

***MissUniversoPróprio*** disse...

Se esse texto tivese sido escrito ontem, não seria tão perfeito e ideal.

Muito bom, flor.

Ps. eu sei que de boba, vc não tem nada!

=***

Miss

Diego Mariano disse...

Não existe isso de bem ou mal, apenas opiniões distintas. O que pode ser bom pra alguns pode ser mal para outros, da mesma forma que é indiferente para a maioria.

Não que não tenhamos um lado bom ou mal, apenas fazemos o que nos faz bem. Só fazemos algo bom para que possamos nos sentir bem, da mesma forma que se fazermos algo ruim concientemente é para também nos fazer sentir bem.

SOMOS EGOÍSTAS POR NATUREZA. E nem por isso estamos errados, somos humanos. Fazemos o que temos que fazer para nosso bem, e às vezes o nosso bem representa o bem de outras pessoas, não que sejamos altruístas, afinal o altruísmo é algo além de nossa compreensão.

nuss viajei... não gosto de pensar tanto...
mas só retribuindo as visitas... =D

Késia Maximiano disse...

E eu não sei q necessidade é essa que o ser humano tem de definições, não é?

Tava com saudades daqui, Nara!
Super beijo...

Ah, vou te seguir, ta?
;*

Sônia Silvino disse...

Tenha um lindo final de semana, amadinha!
Bjkas, muitas!

Sika disse...

Texto mega perfeito.
Sem dúvidas há muitas reflexões por cima dele :D

Beijos!

LUZIA disse...

Pode sim Nara :)
Bjoo

Ivan disse...

Caralho!!! Decidi o dia certo pra visitar blogs amigos. E o seu post foi a cereja do bolo. Adoro essas coisas assim faladas com a veia no pescoço saltada pra fora.
Gosto de você, Narinha. Gosto de gente da tua espécie.

Com carinho,

Ivan.
Aquele que tirou uma porrada de plaquinhas do pescoço que só me deixaram com um bico de papagaio.

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.