sábado, 7 de março de 2009

“Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença...”

Eu fico me perguntando o que faz uma pessoa gostar da outra, às vezes as coisas acontecem tão de repente que eu realmente acredito que existe um anjinho em cima de uma nuvem atirando flechas mágicas para todos os lados. Claro, às vezes ele revolve testar sua mira, venda os olhos e joga a flecha... É nessa hora que você pensa “cúpido burro!”.

O que me surpreende é esse sentimento inexplicável chamado amor (aquele senhor que é cego) e as diferentes maneiras que ele age nas pessoas. Aqueles efeitos colaterais: sorrir feito idiota, olhar feito idiota, cantar feito idiota, falar feito idiota, escrever feito idiota...
E por culpa daquele anjinho e da sua flechinha traquinas eu me deparo com diferentes casais.

O casal auau: Você para, observa uns cinco minutos, e começa a ver cachorrinhos. Eles ficam se pegando o tempo inteiro, um cheirando o rabinho do outro, tirando as pulguinhas, dando mordidinhas e lambidinhas...

O casal pudim: Doce, extremamente doce. A cada minuto surge um apelido novo, desde meu docinho, meu zugo-zugo, neném, mozão,guti- guti à mamãe e papai.Qualquer tipo de som feito por crianças menores de uma ano. É uma maturidade assustadora!

Casal Blackout: Sabe o apagão?Pois é. Deitou, dormiu. Sem muita conversa, sem muito esforço, por favor.

Unidos venceremos: Os dois se transformam em um só. A frase mais dita é “Só vou se minha namorada for”. Então você percebe que já está trocando os nomes, chamando o Roberto de Flávia e a Flávia de Roberto. Compre um, leve dois...

Os esportistas: Namora pelo prazer de brigar e depois fazer as pazes. A pessoa não quer um namorado, quer testar seus dotes para o boxe. Pratica um esporte de uma vez, machuca menos.

Deixando os rótulos de lado, preciso contar de um casal que conheci, no mínimo eles são exóticos!Ela era a cdf, aquela carinha de perdida, como se sempre estivesse procurando algo, sempre olhando para o chão. Ele, nerd. Inteligente, decidido, aluno exemplar, feio, e se eu fosse malvada eu diria que ele é chato, mas eu não sou malvada, não vou dizer isso. Mas aquele casal era esquisito, eles não se beijavam!Então juntava aquele bolinho de gente só para assistir o namoro alheio. O beijo?Nunca vi... Mas a menina dava umas mordidas frenéticas nele![/fofoca]

Tem aquele casal que mexe com a sensibilidade das pessoas.Eles estão passeando pelo shopping e ao ver os dois,de mãos entrelaçadas,você pensa “Éééééé,ele deve ser rico” ou “Gente boa demaaaaais essa guria!” e para as mais invejosas “Sou mais eu,hein??”.

Ah,o importante é ter saúde.Você nunca vai ser um casal perfeito na vista dos outros mesmo...Aliás,só o Eduardo e a Mônica e isso porque ele completa ela e vice versa,que nem feijão com arroz.

6 comentários:

Ana Elisa disse...

Eu conheço um casal auau! ahsuhaushaus

Ninguem entendo o amor mesmo né?

Um dia eu ainda acho o meu Eduardo!

Bjuus

Aline disse...

Geeeeeeente... um dos melhores!!!
Narenha, vc podia ser blogueira profi!!!!!! rs...

...sou fã!!!

Bjo

.° celala disse...

Adorei o tal do /fofoka hauahau
fikei curiosa sabe?
Em busca do Eduardo! o/
hauahau
=*

Dango Costa disse...

Aaaaaah, o amor! Eu nao me familiarizei com isso! Uso repelente de cupido! =]

Luiza disse...

Conheço quase todos os casais...

Também estou a procura do Eduardo, será que vou morrer encalhada?

Érica disse...

Eduardo e Mônica são tão perfeitos que só existem mesmo na cabeça do Renato Russo. Eles são muito mais convincentes do que Romeu e Julieta.

Narinha amei este texto. Ainda bem que nao me identifiquei com nenhum casal.. ufa!

Tah demais, hein amiga.. escrevendo como ninguém!
bju

Aviso

As imagens usadas neste blog são retiradas do nosso amigo Google. Caso seja uma imagem sua, peço que me comunique, assim, colocarei os direitos. Obrigada. Peço sua compreensão.